segunda-feira, junho 17, 2024
24 C
Portel

Covid-19: Pará já tem 1.873 novos casos e 18 mortes

Houve um aumento expressivo no número de casos de Covid-19 no Pará nas primeiras semanas de 2024. Um levantamento realizado pelo DIÁRIO, com base nos boletins atualizados da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), constatou que pelo menos 1.873 novos casos foram registrados no Estado de 1 a 18 de janeiro deste ano. O número de óbitos também preocupa, 18 até agora. Os últimos registos, datados desta quarta-feira, 17, são de duas pessoas: um homem de 70 anos e uma mulher de 88, ambos de Belém. Já no dia 18, uma mulher de Santa Izabel, de 87 anos, também teve sua morte registrada.O Pará totaliza desde o início da pandemia mais de 889 mil casos positivos de Covid-19 e 19.201 mortes provocadas pela doença.No momento, Belém sofre com a escassez de imunizantes nos postos de saúde devido a alta procura por vacinas desde dezembro do ano passado. A Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) informou que as unidades básicas de saúde da capital estão desabastecidas do imunizante Pfizer bivalente.Conteúdos relacionados:Covid-19: veja quais vacinas estão disponíveis em BelémVacina é a melhor prevenção contra infecções respiratóriasCovid: público esgota estoque da vacina bivalente em Belém

A Sesma solicitou uma nova remessa e a previsão é que Ministério da Saúde envie novas doses ao Estado do Pará ainda nesta semana. “Assim que chegar a nova remessa, a Sesma divulgará novo cronograma de vacinação com a bivalente, priorizando a imunização daquelas pessoas mais suscetíveis a casos graves e mortes pela doença, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde”, revelou, em nota, o órgão.Quer ler mais notícias do Pará? Acesse nosso canal no WhatsappPor enquanto, está disponível nas salas de vacinação da rede pública municipal somente a vacina Coronavac monovalente contra a Covid-19, indicada para as pessoas de 5 a 59 anos de idade, que não fazem parte dos grupos prioritários e que precisam fazer a primeira ou a segunda dose do processo de imunização contra a doença. Para esse grupo, segundo orientação do Ministério da Saúde (MS), não há indicação de doses de reforço.

Fonte: DOL – Diário Online – Portal de NotÍcias 

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas notícias

Acessibilidade