segunda-feira, junho 17, 2024
24 C
Portel

Após denúncias de importunação sexual, Arquidiocese de Santarém suspende padre de atividades

A Arquidiocese de Santarém suspendeu, temporariamente, um padre da área pastoral São Lucas, onde fica localizada a igreja de Santo Antônio, no bairro Jaderlândia, em Santarém, Oeste do Pará, após acusações de importunação sexual contra uma coroinha da igreja. A decisão foi promulgada na última quarta-feira (10) pelo arcebispo metropolitano de Santarém, dom Irineu Roman. O padre foi denunciado, na última terça-feira (10), sob a suspeita de ter pedido um beijo a uma criança de 12 anos, que é coroinha da igreja. 

“Em relação à denúncia de um suposto assédio cometido por um presbítero incardinado nesta Arquidiocese de Santarém contra uma coroinha, informamos que até o presente momento, não recebemos nenhuma denúncia da suposta vítima ou dos órgãos civis competentes, tendo tomado conhecimento apenas pelas redes sociais e imprensa. No entanto, por se tratar de uma notícia pública, a Arquidiocese comunica que, afasta temporariamente, o Padre de suas atividades ministeriais, a partir desta data, para apuração dos fatos”, detalha a nota da Arquidiocese.

O caso foi registrado à polícia por familiares da vítima, segundo informações do portal O Impacto, em depoimento às autoridades policiais, a família da criança relatou que em dado momento durante a organização do altar para a missa, o religioso se aproximou da vítima e falou no ouvido dela que queria um beijo na boca. Como forma de se defender da suposta importunação sexual, a vítima teria usado do argumento de que tinha namorado. Ainda segundo os relatos da vítima, os assédios já eram feitos desde quando ela tinha 10 anos.

Em nota, a Polícia Civil confirmou que o caso já está sendo investigado. “A Polícia Civil informa que o caso é investigado sob sigilo pela Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e Adolescente (DEACA/Santarém)”, diz o comunicado. A Redação Integrada de O Liberal também solicitou à PC se o padre já foi alvo de outras denúncias e se ele já chegou a prestar depoimento. Entretanto, a PC não esclareceu maiores detalhes sobre o caso. 

Defesa

Por meio das redes sociais, nesta quinta-feira (11), o advogado do padre, publicou uma nota informando que o padre nega as acusações. Segundo a defesa do religioso, em nenhum momento houve qualquer contato físico, troca de olhares inapropriados ou outro tipo de insinuação. “É fundamental reiterar o princípio básico da justiça: a presunção de inocência até que se prove o contrário. Entendemos a gravidade das alegações e respeitamos o processo legal. No entanto, é vital que se evite o julgamento precipitado e a condenação pública sem o devido processo legal”, diz a nota. 

Também na nota, o advogado frisa que “a reputação de uma pessoa, construída ao longo de uma vida de dedicação e serviço, não deve ser manchada por acusações infundadas”. Estamos colaborando totalmente com as autoridades competentes para esclarecer os fatos e estamos confiantes de que, ao final do processo legal, a inocência será comprovada. Pedimos respeito pela privacidade e pela integridade de todas as partes envolvidas durante a apuração do fato”, esclarece a defesa.

Fonte: Pará – O Liberal.com 

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas notícias

Acessibilidade