quarta-feira, maio 29, 2024
26.3 C
Portel

1ª Feira Municipal de Educação Especial de Castanhal reúne inclusão, arte e cultura

Começou nesta quarta-feira, 19, e vai até quinta, 20, a da 1ª Feira Municipal de Educação Especial de Castanhal, no nordeste do estado. O evento é uma realização da Secretaria Municipal de Educação e tem o tema “Entre caminhos de equidade e emancipação. A feira acontece no salão de eventos do Sindicato Rural de Castanhal de 09h às 19h.

O primeiro dia contou com um grade público que visitou os 25 estandes das escolas do município. São cerca de 1300 alunos com algum tipo de deficiência, como explica a Luciene Rodrigues, coordenadora de ensino da Semed. “A feira é um sonho que foi concretizado. Tem grande relevância para Castanhal porque trazer a temática da incluão de fato e de direito ainda é algo muito difícil de se realizar e aqui estão expostos todos ao trabalhos que são desenvolvido na rede municipal”, disse a coordenadora.

VEJA MAIS 

[[(standard.Article) Paraquedismo: Inclusão e amor ao próximo através do esporte]]

[[(standard.Article) Programa de Inclusão Digital é oportunidade para milhares de alunos em Marabá ]]

“É um sentimento de muita emoção e a educação inclusiva merecia esse reconhecimento e estamos muito felizes. Está acima de todas as expectativas e já estamos querendo outras mais feiras como esta”, contou Cláudia Seabra.

A mãe do Davi Riquelme Araújo, de 11 anos, Monalisa Araújo, contou que o filho estava muito feliz em participar da feira. O menino é cadeirante e fez questão de visitar todos os estandes. “Quero parabenizar a todos os envolvidos porque Castanhal estava precisando de um evento assim. Dar visibilidade a essas crianças e adolescentes com deficiência é o que mais queremos porque enfrentamos muitos obstáculos e estar aqui é de grande importância para eles”, contou.

Programação

A partir das 15h, desta quarta, no estande da contação de histórias terá a apresentação de três histórias com adaptação inclusiva e que contará com a participação das escritoras belenenses Adelma Cunha e Wend Feitosa. É o que explica a Mara Araújo, assessora da coordenadoria da educação especial da Semed.  “Nós vamos contar as histórias de forma que os personagens incluam e acolhem o diferente. Contamos a história da Branca de Neve onde o príncipe é surdo e as crianças amam e se identificam”, disse.

 

 

Fonte: Pará – O Liberal.com 

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas notícias

Acessibilidade