segunda-feira, junho 17, 2024
23.8 C
Portel

Vacina contra dengue vai priorizar pessoas de 6 a 16 anos

O Ministério da Saúde tem a previsão de ofertar a vacina contra a dengue primeiramente para uma parcela não definida da população entre 6 a 16 anos, como recomenda a OMS (Organização Mundial da Saúde). A estratégia foi aprovada ontem em reunião da CTAI (Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização).
A estratégia ainda precisa ser aprovada na CIT (Comissão Intergestores Tripartite), que irá definir quais as áreas de distribuição e também qual será exatamente esse primeiro público.
Na recomendação do grupo de assessoramento da OMS, o órgão restringiu a aplicação do imunizante para crianças e adolescentes de 6 a 16 anos, de um a dois anos antes do seu contato endêmico com a doença, ou seja, aquelas de 4 e 5 anos não deveriam ser incluídas como prioritárias na vacinação.
Segundo Eder Gatti, diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis, o comitê técnico orienta que a pasta siga a recomendação da OMS. “A gente já contava isso como um norteador, mas a discussão fechou bem essa questão”, disse.Conteúdos relacionados:Conheça os sintomas mais comuns da Covid-19 atualmenteRótulos de medicamentos deverão alertar sobre dopingButantan desenvolve teste que detecta leptospirose

Embora os grupos mais vulneráveis aos casos graves e mortes por dengue sejam crianças pequenas e idosos, segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a Qdenga é indicada para quem tem mais de quatro anos e para adultos com até 60 anos -não há estudos para avaliar a eficácia e a segurança da vacina fora dessa faixa etária.
Em dezembro, o Ministério da Saúde anunciou a incorporação da vacina da dengue ao SUS. A imunização deve começar em fevereiro de 2024, mas não será utilizada em larga escala em um primeiro momento. Segundo o laboratório, a previsão é que sejam entregues 5.082 milhões de doses entre fevereiro e novembro de 2024. O esquema vacinal é composto de duas doses.Quer ler mais notícias brasil? Acesse nosso canal no Whatsapp 
Por conta desse quantitativo limitado a pasta terá que desenhar estratégias de aplicação. Segundo o diretor, o país só irá conseguir vacinar cerca de 3 milhões de pessoas com as doses disponíveis pelo laboratório neste ano. A previsão é começar a imunizar em fevereiro. “Isso não quer dizer que a gente vai oferecer a vacina para todo esse grupo [6 a 16 anos]. Tem uma discussão que dentro desse grupo [avalia] qual o grupo que hospitaliza mais, qual o grupo de melhor impacto. Isso pode variar e vamos procurar ficar dentro desse grupo”, disse.

Fonte: DOL – Diário Online – Portal de NotÍcias 

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas notícias

Acessibilidade