sexta-feira, julho 19, 2024
31.9 C
Portel

PF prende traficantes internacionais que faturaram R$ 300 milhões com cocaína destinada ao Norte

Nesta quarta-feira (26), a Polícia Federal deflagrou a Operação Rota Caipira com o intuíto de reprimir o tráfico internacional de cocaína oriunda da Bolívia, Peru e Colômbia, com destino a estados do Norte e do Nordeste brasileiros.

Estão sendo cumpridos 195 medidas judiciais, sendo 28 mandados de prisão preventiva, 95 de busca e apreensão em 14 estados brasileiros, apreensão de 16 aeronaves, sequestro de três propriedades rurais e bloqueio de valores, que estimam um total de R$ 300 milhões

As investigações começaram ainda em novembro do ano passado quando a Polícia Militar do município de Tucumã, no sudeste paraense, apreendeu 815 kg de cocaína após trocar informações com a Delegacia de Polícia Federal em Araguaína (TO).

VEJA MAIS

[[(standard.Article) PF apreende mais de 60 quilos da ‘supermaconha’ escondidos dentro de carros em Marituba]]

[[(standard.Article) PF deflagra operação em 10 estados contra grupo acusado de lavagem de dinheiro do tráfico de drogas]]

[[(standard.Article) PF prende homem com drogas escondidas na cueca em aeroporto de Belém]]

De acordo com as investigações, a organização criminosa investigada adquiria cocaína de fornecedores localizados na Bolívia e no Peru e realizava o transporte por meio de complexa estrutura aérea até pontos estratégicos localizados no Pará, em Tocantins e Maranhão. As capitais nordestinas São Luís (MA), Teresina (PI) e Fortaleza (CE), a princípio, eram o destino da droga. No entanto, a investigação não descarta que a cocaína também tenha sido levada a países da Europa.

Para a operação foram mobilizados 400 policiais federais, servidores da Agência Nacional de Petróleo (ANP), da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), em como equipes da Polícia Militar dos estados de Tocantins, Maranhão e Piauí, além de uma equipe do grupamento aéreo da Polícia Militar de Tocantins.

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de associação, financiamento e tráfico internacional de drogas, organização criminosa internacional e lavagem de dinheiro praticada por organização criminosa.

(Luciana Carvalho, estagiária da Redação sob supervisão de Keila Ferreira, Coordenadora do Núcleo de Política).

Fonte: Pará – O Liberal.com 

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas notícias

Acessibilidade