segunda-feira, julho 15, 2024
34.4 C
Portel

Mulher deu apoio logístico para grupo que matou cabo Cilinho 

Paloma Cristina Miranda Nascimento, que foi presa nesta segunda-feira (24) por ter participação no crime de assassinato do ex-policial militar  Otacílio José Queiroz Gonçalves, mais conhecido como “Cilinho”, deu apoio logístico aos criminosos que executaram a vítima.
De acordo com o delegado que comanda  investigação do caso, Paloma foi responsável por alugar um imóvel, que ficava próximo à casa do ex-policial militar. Ela também levava alimentação aos criminosos, dando todo o suporte para que eles permanecessem escondidos na residência.
Segundo o inquérito, o imóvel foi locado há cerca de um mês. Durante todo este tempo, os executores de Cilinho ficaram monitorando os passos da vítima, planejando quando seria o melhor momento para o assassinato.
Em depoimento, Paloma negou admitiu que levou comida aos criminosos, mas afirmou que não sabia sobre os planos de matar Cilinho. Ainda não se sabe o que motivou o homicídio e o caso segue em investigação pela Polícia Civil do Pará.Confira o depoimento do delegado sobre o caso: 

|

Texto Auxiliar: Alinhamento Texto Auxiliar: Link Externo: Alinhar à esquerda: Alinhar à direita: Alinhar ao centro: Fullscreen: Fullscreen Exit: Conteúdo Sensível:

  

Fonte: DOL – Diário Online – Portal de NotÍcias 

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas notícias

Acessibilidade