sábado, maio 25, 2024
23.2 C
Portel

Governo do Pará e Instituto Avon firmam parceria em benefício de vítimas de violência doméstica

A Secretaria de Estado das Mulheres (Semmu) firmou, nesta quarta-feira (10), um acordo de cooperação com o Instituto Avon para a implementação do Programa Acolhe no território paraense. O projeto foi criado pelo Instituto em parceria com um grupo de hotéis e apoio técnico do Programa Bem Querer Mulher, para atender mulheres em situação de violência. Dados da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup) apontam 49 registros de feminicídio no ano de 2022. Em janeiro e fevereiro deste ano, o Pará registrou um total de sete ocorrências do tipo.

VEJA MAIS

[[(standard.Article) Vítima de violência doméstica no Curió-Utinga recebe acolhimento especializado]]

[[(standard.Article) Pará já concentra 25% do total de casos de violência doméstica registrados no ano passado]]

[[(standard.Article) Medida protetiva à mulher passa a ser concedida de forma imediata]]

Governadora em exercício, Hana Ghassan participou do evento e reafirmou o compromisso do Governo do Estado com a segurança de mulheres paraenses. “Eu costumo falar que nós precisamos cada dia mais de ações concretas que possam transformar a vida das pessoas, quer seja por intermédio do governo do Estado, do governo municipal ou da parceria público-privada. Então essa iniciativa do Instituto Avon, ao assumir essa responsabilidade social, é muito importante. E a gente só vai conseguir enfrentar todos os desafios que temos pela frente justamente com essa união de esforços”, observou ela.

O Programa Acolhe oferece abrigo temporário em hotéis para mulheres em situação de violência e risco. A proteção se estende para os filhos das vítimas também. Em até 15 dias de hospedagem, são asseguradas refeições completas, serviços de lavanderia, acesso a computador e internet e assistência social, psicológica e jurídica. No Brasil, o programa viabilizou mais de 4.500 diárias para abrigos temporários em hotéis e 1.176 atendimentos em 166 municípios de 19 estados brasileiros. Secretária estadual das Mulheres do Pará, Paula Gomes destacou que é fundamental ampliar a rede de acolhimento.

A iniciativa busca unir esforços com os órgãos públicos regionais para potencializar as redes de proteção e apoio à população feminina em situação de violência, ampliando as possibilidades de atendimento.  O programa é financiado pelo Fundo de Investimento Social Privado pelo Fim das Violências Contra Mulheres e Meninas.
“É importante firmar parcerias com entidades como o Instituto Avon, e assim aumentar nossa capacidade de cuidar dessas mulheres que se encontram em situação de vulnerabilidade. Juntas vamos trabalhar para garantir que as cidadãs do Pará tenham a segurança e o apoio necessários para recomeçarem suas vidas com segurança e dignidade”, declarou a titular da Semmu, Paula Gomes.

O Termo de Cooperação foi assinado no Palácio dos Despachos, em Belém, com a presença da governadora em exercício, Hana Ghassan; da secretária estadual das Mulheres, Paula Gomes, da diretora executiva do Instituto Avon;  Secretária das Mulheres; Daniela Grelin, e do  diretor de relações governamentais na Natura&Co, Paulo Dallari.

“Além de oferecer o abrigamento e acolhimento humanizados e de qualidade, o Programa Acolhe é também um importante incentivo para que as mulheres possam conquistar a autonomia para romper ciclos de violência e se fortalecer física e mentalmente. É importante para as acolhidas saber que estarão acompanhadas de seus dependentes, em segurança e assistidas para reiniciarem suas trajetórias em seus próprios termos”, explica a diretora executiva no Instituto Avon, Daniela Grelin.

 A titular da Coordenadoria da Mulher de Belém (Combel), Lívia Noronha, entende que iniciativas como essa, que partem de uma empresa privada, fortalecem as políticas públicas. “Fortalecem porque é uma oportunidade a mais para as mulheres, que agora além de terem a alternativa de serem acolhidas no hotel, não mais somente no abrigo, terão acesso imediato à capacitação profissional. Então serão 15 dias em que essa mulher poderá mudar a sua vida rapidamente”, detalha.

Fonte: Pará – O Liberal.com 

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas notícias

Acessibilidade