segunda-feira, julho 15, 2024
34.4 C
Portel

Estado fortalece ações de prevenção à obesidade de crianças e adolescentes no Pará

Mais da metade da população mundial estará acima do peso ou obesa até 2035, se não houver uma ação significativa para conter o avanço da doença crônica, de acordo com o Atlas Mundial da Obesidade 2023. Para evitar que essa previsão se torne realidade, o Governo do Estado fortalece ações de prevenção à obesidade, sobretudo, de crianças e adolescentes no Pará. Entre as crianças atendidas na Atenção Primária, em 2022, no estado, 6,3% dos menores de 5 anos e 11,38 % das crianças entre 5 a 10 anos apresentaram obesidade. Quanto aos adolescentes acompanhados, no mesmo período, cerca de 8,39% estão obesos.

O Programa “Crescer Saudável”, que faz parte do “Saúde na Escola”, e a “Estratégia Proteja”, desenvolvidos pela Secretaria de Estado da Saúde do Pará (Sespa), são exemplos de iniciativas estaduais com o objetivo de promover a segurança alimentar e nutricional e a alimentação saudável, que ajudam a prevenir a obesidade e outras doenças relacionadas. A Coordenação Estadual de Nutrição (CEN) da Sespa atua junto aos profissionais da educação com qualificações e assessoramento técnico sobre o tema.

“O ‘Crescer Saudável’ possui indicadores de avaliação nutricional, consumo alimentar e atividades coletivas que devem ser desenvolvidos em cada município paraense e o ‘Proteja’ é o incentivo financeiro que é repassado às cidades, para que realizem ações de prevenção e combate à obesidade infantil”, explica Walkiria Moraes, coordenadora de Nutrição da Sespa.  Nas escolas estaduais paraenses, a oferta da alimentação escolar é programada por nutricionistas, tendo como referência as legislações do Programa Nacional de Alimentação Escolar.

“São elaborados cardápios especiais considerando as necessidades nutricionais diárias do aluno, respeitando os hábitos alimentares. Dessa forma garantimos alimentos de alto valor biológico, excluindo os alimentos ultraprocessados, priorizando alimentos o mais natural possível, a exemplo de frutas, verduras, leite em pó integral, carne de cortes magros, filé de peito de frango e de peixe. Assim, a alimentação escolar é um programa social de grande importância para melhoria da qualidade de vida e da saúde, muitas vezes sendo a garantia de ser a única alimentação adequada para alguns membros da comunidade escolar”, ressalta a nutricionista Joyce dos Anjos, coordenadora da alimentação escolar da Secretaria de Educação do Estado do Pará (Seduc).

Para casos graves de obesidade, a Sespa criou, em 2020, o Programa “Obesidade Zero”, que busca acelerar o acesso gratuito à cirurgia bariátrica para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Desde a primeira cirurgia realizada através do programa, em outubro de 2020, até o final de janeiro de 2023, já foram realizadas 837 bariátricas pelo “Obesidade Zero”.

 

Usinas da Paz auxiliam na prática de atividades físicas

A prática de exercício físico é também uma das principais aliadas no combate à obesidade. Entre as ações da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) está a oferta de atividades esportivas nas nove UsiPaz instaladas no estado, a exemplo do voleibol, basquetebol, handebol, jiu jitsu, judô, karatê, boxe, natação e a hidroginástica.

As atividades são ofertadas para todo o tipo de público, desde crianças a partir dos 6 anos de idade até idosos. Cerca de 5 mil pessoas praticam algumas dessas modalidades nas Usinas.

“São nove usinas buscando sempre a saúde e o esporte de participação como um todo. Dessa forma, promove-se maior qualidade de vida, retirando muitas de nossas crianças e jovens do ócio e do sedentarismo, prevenindo, sobretudo que nossa população sofra de doenças como obesidade, hipertensão, diabetes, infarto, depressão, doenças articulares, entre outras”, destaca o coordenador de esportes da Seel nas UsiPaz, Leiff Reis.

Aluna de natação na UsiPaz Terra Firme, Ana Carolina Costa, 15 anos, ressalta os benefícios da prática da atividade física para a sua saúde. “O esporte ajuda muito no meu desenvolvimento. Já passei por uma fase em que estava além do meu peso e com a natação, consegui emagrecer e melhorar a minha qualidade de vida. Faço natação há oito anos, mas houve um período em que fiquei sem fazer nenhum tipo de atividade física. Fiquei extremamente sedentária e com o colesterol alto. Após voltar às atividades físicas, refiz os exames e os níveis já estão controlados novamente”, diz.

Fonte: Pará – O Liberal.com 

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas notícias

Acessibilidade