quarta-feira, maio 29, 2024
26.3 C
Portel

Brasileiras presas na Alemanha contraíram infecção de pele

Duas brasileiras, Jeanne Paollini e Katyna Baía, foram presas na Alemanha sob acusação de tráfico internacional de drogas após suas malas terem sido trocadas por bagagens contendo substâncias ilícitas. Após 38 dias na prisão, elas foram consideradas inocentes e libertadas. No entanto, as mulheres alegaram ter contraído uma infecção bacteriana na pele após compartilharem roupas com outras detentas na prisão, incluindo calcinhas.
Katyna afirmou em uma rede social que a infecção foi causada pelo uso coletivo de roupas e calcinhas. Ela também publicou um desenho que fez durante o período em que estava presa. As brasileiras foram vítimas de um esquema de troca de etiquetas de bagagens no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, financiado pelo Primeiro Comando da Capital (PCC).LEIA TAMBÉM:+ Brasileiras presas na Alemanha tiveram malas trocadas+ Indonésia pede pena de morte de paraense presa por tráfico+ PM prende suspeito de invadir e roubar casa de policial
A Polícia Federal prendeu oito suspeitos de integrar a quadrilha responsável pelo esquema, incluindo Anderson Augusto Nascimento, Eduardo Barbosa dos Santos, Gustavo Evaristo de Souza, Pablo Thomas de Oliveira Franca, Pedro Henrique Silva Venâncio, Gabriel do Nascimento Silva Sousa e Tamiris Macedo da Silva Zacharias. Todos foram indiciados por tráfico internacional de drogas e associação ao tráfico. Carolina Helena Pennacchiotti, que também havia sido presa, foi solta recentemente. O PCC paga R$ 30 mil por bagagem trocada, segundo o Metrópoles.

Fonte: DOL – Diário Online – Portal de NotÍcias 

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas notícias

Acessibilidade